Record anuncia demissões em massa após prejuízo de mio bilhão

Edir Macedo, dono da Record (foto: Divulgação)
Edir Macedo, dono da Record (foto: Divulgação)

Os profissionais da Record enfrentarão uma semana desafiadora, pois os principais executivos da emissora foram informados na semana passada de que será necessário realizar cortes em suas equipes, o que terá um impacto significativo nos orçamentos.

Continua após o anúncio

Todos os setores serão afetados, incluindo as afiliadas, mas o Jornalismo será especialmente impactado, uma vez que é onde estão concentrados os maiores salários.

O processo de reestruturação é uma resposta aos desafios enfrentados pela emissora, que está passando por um momento difícil, com uma queda nas vendas de publicidade e um aumento nos custos de produção. No ano passado, a Record registrou um prejuízo histórico de R$ 517 milhões.

Como resultado, a necessidade de realizar cortes e ajustes é uma medida para lidar com essa situação financeira desafiadora.

Anúncio

O setor de mídia enfrenta atualmente a sua pior crise dos últimos oito anos, e as emissoras de TV têm sido particularmente afetadas.

Elas têm perdido anunciantes para empresas multinacionais que se concentram exclusivamente em tecnologia e exploram a produção de conteúdo de terceiros.

Nas últimas semanas, a Band e a Gazeta, em particular, passaram por significativos ajustes internos em resposta a essa situação desafiadora.

Record planeja demissões em massa

Ao longo do primeiro semestre, a Record realizou cortes pontuais, como o do apresentador Geraldo Luís, cujo contrato iria até setembro.

Nas últimas semanas, diversas demissões foram feitas na área de Jornalismo no Rio de Janeiro. Dos recentes desligamentos, somente a área de Teledramaturgia será poupada, pois já foi totalmente terceirizada e está sob o controle da Igreja Universal do Reino de Deus.

Record fica no vermelho

(Foto: Reprodução)

Conforme divulgado pelo jornalista Sandro Nascimento, do NaTelinha, a Record teve um prejuízo superior a meio bilhão de reais em 2022, interrompendo uma sequência de três anos consecutivos de lucro (2019, 2020 e 2021).

A maior parte do prejuízo da Record, no entanto, não é diretamente atribuída à emissora, mas sim ao banco Digimais (antigo Renner), que passou a ser controlado pelo bispo Edir Macedo, proprietário da Record, em 2020.

No ano passado, o Digimais registrou um prejuízo de R$ 323 milhões. Como a Record é a controladora do banco, esse resultado negativo é absorvido em seu balanço.

Caso não fossem considerados os impactos financeiros negativos do Digimais e de outras empresas controladas pela Record, o prejuízo da emissora seria de aproximadamente R$ 188 milhões.

Deixe sua opinião