Silvio Santos recebe novo boletim médico após descobrir grave doença

Apresentador e empresário Silvio Santos se cura da Covid-19 (Foto: Reprodução)
Apresentador e empresário Silvio Santos se cura da Covid-19 (Foto: Reprodução)

O dono do SBT, Silvio Santos, teve novo quadro médico revelado

O animador Silvio Santos, de 90 anos, se curou da Covid-19, doença causada pelo coronavírus e que já levou a vida de mais de meio milhão de brasileiros. Dessa forma, nesta terça-feira (31), a assessoria de comunicação do apresentador e dono do SBT revelou que o dono do baú encontra-se curado da doença.

Anúncio

O “patrão” teve o diagnóstico da Covid-19 no mês de agosto e chegou a se internar para exames, contudo, decidiu encerrar o tratamento em casa. Afinal, já que havia recebido as duas doses da Coronavac, Silvio não teve sintomas fortes e, segundo informações, está curado.

Veja também: Deolane Bezerra diz que ex de Kevin pediu desculpas após briga e sai escorraçada em barraco: “Soberba”

Patrícia Abravanel, após o diagnóstico de Silvio Santos, se pronunciou nas redes sociais: “Nosso pai está clinicamente bem. Daquele jeito que a gente ama… brincando com todos, fazendo piadas, descontraindo o ambiente. Mas testou positivo para Covid e por conta da idade e necessidade de exames frequentes, os médicos decidiram interná-lo”, disse a esposa do Ministro das Comunicações.

Anúncio
Dono do baú em seu programa dominical (Foto: Reprodução)
Dono do baú em seu programa dominical (Foto: Reprodução)

Ainda sobre a matéria

Silvia Abravanel, titular do Bom Dia & Cia, também fez uso das redes sociais na época para comentar o estado de saúde de Silvio Santos. “Nosso pai está super bem, graças a Deus. Ele testou positivo para a Covid-19. Os exames dele estão bons, e ele decidiu ficar no hospital para fazer o acompanhamento diário exigidos pelos médicos por conta da idade dele. Ele está bem. Já brincando com a turma toda do hospital e descontraindo o ambiente. Logo, logo mandaremos mais boas notícias. Obrigada pelo carinho de sempre”.

Anúncio

É importante destacar que as vacinas são eficazes, mas não infalíveis contra a doença. Dessa forma, apesar da probabilidade de ter a infecção e evoluir para casos graves ou óbito ser reduzida, ela não é eliminada. Além disso, quanto mais pessoas doentes estiverem circulando, maior a chance de se contaminar. Sendo assim, a necessidade de vacinar o maior número de pessoas o quanto antes é inevitável.

Compartilhar notícia: