Galvão Bueno rasga o verbo, detona violência no futebol e cita guerra na Ucrânia

O comentarista da Globo, Galvão Bueno (Foto: Reprodução)
O comentarista da Globo, Galvão Bueno (Foto: Reprodução)

O comentarista da Globo, Galvão Bueno aproveitou um momento do Bem, Amigos, do SporTV, para fazer um desabafo. Em suma, no programa desta segunda-feira (7), ele detonou a violência que vem ocorrendo no futebol. Além disso, ele chegou a citar a guerra que está acontecendo entre Rússia e Ucrânia.

Continua após o anúncio

Em suma, tudo começou após uma briga generalizada no México, onde deixou alguns torcedores mortos. A porradaria aconteceu antes do clássico entre Cruzeiro e Atlético-MG. Dessa maneira, o comentarista falou abertamente sobre o assunto.

“O que está acontecendo com o futebol? Nos últimos dias, foi um susto atrás do outro. Foram cenas revoltantes. Selvageria dentro de um estádio no México, bombas jogadas dentro de ônibus aqui no Brasil com jogadores dentro, invasão de campo, batalha campal, torcedor agredindo jogador e ameaças mafiosas no Uruguai. Lá, simplesmente não tem mais jogo. O que está acontecendo?”, desabafou Galvão Bueno.

Por fim, Galvão Bueno deu parabéns ao técnico Abel Ferreira, do Palmeiras, que se pronunciou de forma firme sobre a violência no futebol.

Anúncio

“Não é possível que não cause comoção as imagens horríveis, terríveis que nos chegam da guerra da Ucrânia. Que pessoas são essas? Que em nome de uma paixão por um time, usam só o ódio. Eu começo até a duvidar do que se passa no coração desses torcedores. Torcedor não. Bandidos! Porque o verdadeiro torcedor é um apaixonado pelo futebol e respeita os adversários“, declarou ele.

Galvão Bueno continua a falar sobre o assunto

O comentarista da Globo, Galvão Bueno (Foto: Reprodução)
O comentarista da Globo, Galvão Bueno (Foto: Reprodução)

Inclusive, o comentarista Galvão Bueno, no final do seu discurso, disse. “Eu queria dar parabéns ao treinador Abel Ferreira. Eu já fiz críticas, mas ele cobrou das autoridades e disse muito claramente que não sabe se vai trabalhar aqui. E de quem é a culpa? Cadê a punição? Essas pessoas não têm medo da lei. O futebol está ficando doente. Muito doente. Esses bandidos não podem nos vencer”.

Deixe sua opinião

Send this to a friend