Filha de Belo pode ficar presa por 8 anos após crimes brutais e envolvimento com Comando Vermelho

Isadora e Belo (Foto: Reprodução)
Isadora e Belo (Foto: Reprodução)

Isadora, filha do Belo, foi presa em flagrante dando golpes em velhinhos

A filha do cantor Belo, Isadora Alkimin Vieira, de 22 anos, pode ficar 8 anos presa após supostos crimes terem sido descobertos pela polícia.

Continua após o anúncio

Depois uma audiência de custódia que ocorreu na tarde de quinta (12) em Benfica, zona norte do Rio, o magistrado resolveu por manter a prisão de sete pessoas, incluindo a filha do artista, Isadora Alkimin.

As outras criminosas, fora a filha do Belo, trancafiadas por fazer golpes eletrônicos com participação de motoboys ligados a traficantes do Comando Vermelho, continuam em prisão domiciliar por serem mães de crianças pequenas. O delegado da DCOD, Gustavo Castro, falou com o UOL e explicou melhor sobre o assunto. Ele disse que as beldade podem ficar até oito anos em cana.

Veja Também: Quando Me Apaixono: Jerônimo prova amor por Renata com surpresa emocionante e Augusto é humilhado em público

Anúncio
Filha do Belo foi presa (Foto: Reprodução)
Filha do Belo foi presa (Foto: Reprodução)

Mais sobre a matéria

Veja Também: Virgínia Fonseca, em polêmica de gravidez com filho de Leonardo, confessa verdade em relato emocionante

Ele contou que as 12 jovens, inclusive a filha do Belo, foram presas em flagrantes pelo crime de organização criminosa que tem uma pena de três a oito anos e vão também responder por cada estelionato que fizeram. Elas participavam em uma central clandestina de telemarketing, feita em um apartamento alugado na Barra da Tijuca e tiravam 15% de comissão, que girava em torno de R$ 5 mil a R$ 6 mil por cada golpe mantido.

Anúncio

O delegado falou que a filha do Belo agia há pelo menos três meses e que tinha entre suas principais vítimas, pessoas mais velhas. As beldades telefonavam para os clientes dos bancos se apresentando como funcionárias de um destes e seguiam todo um esquema. Elas questionavam se o cliente havia realizado compra em determinada unidade, e, após negarem, ofertavam um motorista de moto para buscar os cartões nas residências e verificar se houve algum tipo de golpe.

Deixe sua opinião

Send this to a friend